MENU

Carregando, aguarde...

Tratamento para Calvícies e Alopecias.

Role para baixo para saber mais.

A Calvície

A calvície, ou Alopecia Androgenética, pertence a um conjunto de disfunções que levam à redução ou ausência de cabelos e – apesar de não causar riscos à saúde – afeta a autoestima e o bem-estar do indivíduo.

Ela apresenta várias causas, podendo ter uma evolução gradual ou progressiva, espontânea ou controlada, de acordo com o tratamento médico.

A perda de cabelos (entre 70 a 100 fios por dia) é um processo natural do nosso organismo que, após sua queda é reposto por um novo fio.

Na Calvície, porém, essa reposição não procede.

Sendo assim, podemos compreender que a calvície não é um problema de queda de cabelos, e sim, de reposição das perdas normais.

Em nossos canais digitais, você terá ampla informação acerca desse assunto; desde os seus fatores oriundos (surgimento, efeitos e reações), passando por suas diversas causas até chegar a um tratamento adequado com os nossos especialistas.

O Ciclo da queda

Toda queda é gradual e está associada com a testosterona cuja quantidade determina o grau e a predisposição genética do indivíduo.

Os sintomas se caracterizam pela diminuição gradual dos fios que vão se tornando mais finos e ralos. Este processo é chamado de Miniaturização.

O ritmo de sua evolução é instável e varia muito de pessoa a pessoa. É importante ressaltar que a calvície se apresenta de forma diferente nos homens e nas mulheres.

Se nos homens este acometimento é mais intenso, nas mulheres, a evolução é mais letárgica por conta das alterações hormonais sendo que, em muitos casos, a queda se inicia a partir da menopausa.

Entretanto, pesquisas salientam para um número significativo de pessoas com Alopecia, devido à rotina apressada, o dia a dia repleto de responsabilidades e o aparecimento de doenças psicológicas como o estresse, isso sem contar na má alimentação e no sedentarismo.

O cabelo e a pele

Toda pele é responsável pelo ciclo capilar, formulando alterações como a regeneração da papila dérmica. A papila dérmica é uma saliência presente na camada da pele, localizada na base do folículo. As células que recobrem a papila formam a raiz do pelo e são irrigadas por vasos e veias.

A pele também é responsável pelo aumento da microcirculação local, bem como a proliferação celular que é essencial para o crescimento do folículo, onde se localiza a raiz do fio capilar.

É um sistema bastante complexo que está localizado na hipoderme (camada profunda da pele).

Cabelos e pele; uma fisiologia fascinante que exige um profundo e cuidadoso acompanhamento preventivo para manter a saúde e o bem-estar de cada indivíduo.

Alteração do
ciclo capilar

Existem cinco tipos de alopecia (Areata – Androgenética – Cicatricial – Por Tração – Eflúvio Telógeno).

As alopecias se assemelham por provocarem a queda capilar, e se diferenciam por suas anomalias, cada qual, apresenta uma origem disfuncional diferente.

Areata

Andro-
genética

Cicatricial

Tração

Eflúvio
Telógeno

A ação dos
hormônios
e o tratamento

O processo da calvície requer disciplina e complexidade. Os folículos pilosos são estimulados pela Testosterona que, ao atingir o couro cabeludo de indivíduos com maior sensibilidade e tendência genética, sofrem a ação de uma enzima intitulada 5-alfa-redutase, que transforma a testosterona em uma espécie de versão mais forte, a DHT (Dihidrotestosterona), que age dentro dos folículos, promovendo a miniaturização folicular, onde os folículos vão diminuindo de tamanho reduzindo progressivamente a produção dos fios.
A Anágena (fase de crescimento do cabelo) vai ficando cada vez mais curta e as fases de descanso e falência dos fios (Catágena e Telógena) se prolongam fazendo com que os fios fiquem mais ralos e mais finos, impedindo o nascimento de novos fios